19/01/06 - Projeto Eco Verão varre litoral paulista

O verão começou há quase um mês e as praias já estão fervendo. Com tanta gente desfilando pelas areias alguns assuntos acabam esquecidos nas rodas de amigos e famílias. Um deles é a questão do lixo, deixado indevidamente nas areias.

"Muitos freqüentadores de praias acham que não precisam se preocupar com os restos largados nas areias porque o local recebe limpeza diária, realizada por empresas responsáveis".

Para ajudar a lembrar sobre os problemas causados pelo lixo ao meio ambiente, a organização não governamental, SOS Praias Brasil, segue para algumas praias do litoral paulista com o projeto Eco Verão 2006.

Idealizado e desenvolvido pelo casal Heloisa Azevedo e Marcelo Marrinello, o trabalho visa alertar banhistas e divulgar a campanha "Lixo na praia não pode virar moda".

"Temos como objetivo fazer com que a população seja consciente da importância de se preservar o mar e as praia", explica Heloisa, presidente da ong.

Para colocar em prática o projeto, eles contam com o apoio de empresas. "Queremos promover a educação ambiental e conscientização dos freqüentadores de praias durante o verão de 2006".

O projeto teve início no último dia 14, na praia do Arpoador, Peruíbe, litoral Sul de São Paulo, onde ficaram dois dias, seguindo para a praia do Oásis e do Bouganville.

Itanhaém, Mongaguá, São Sebastião e Ubatuba são outros municípios que também receberão o apoio da ong para alertar os banhistas da importância de recolher o próprio lixo ao retornar para casa.

Com uma arena montada na areia, a SOS Praias Brasil conta com a ajuda de voluntários para realização das atividades. A implantação de lixeiras ecológicas e a distribuição de saquinhos de lixos são algumas ações planejadas pela ong.

Para atrair a atenção das crianças, eles vestem fantasias de lixos e organizam gincanas ecológicas e atividades recreativas. "É importante investir na educação ambiental. Através de brincadeiras, conquistamos a atenção deles que acabam entendendo o problema do lixo no mundo".

Um dos principais alvos dos agentes são os fumantes. Eles distribuem um cinzeiro ecológico, que acompanha um folheto informativo sobre como usá-lo, e falam sobre os diversos danos causados pelos filtros de cigarros deixados à beira-mar.

Estudos realizados por biólogos mostraram que peixes, tartarugas, golfinhos e outros animais marinhos estão ingerindo as bitucas e morrendo.

A SOS Praias Brasil é uma organização não governamental, que busca o envolvimento das pessoas na luta pela preservação das praias brasileiras.

A missão da ong é de promover educação ambiental, atuar na fiscalização da natureza, propondo alternativas do uso sustentável dos recursos naturais do litoral brasileiro, além de estimular a criação de políticas para o lixo urbano.

Desde 1999, a ong roda o país a bordo de um motor-home, em busca de assinaturas para um abaixo assinado que pede a construção de estações de tratamento de esgotos em todos os municípios litorâneos.

Para que o projeto se transforme em lei federal é preciso de um milhão de assinaturas. Até o momento, ele conta com aproximadamente 180 mil.

A SOS Praias Brasil conta com a parceria de empresas conscientes da importância de preservação e respeito pela natureza, como a Tent Beach, HD, Oakley, Ingleza, Sinatec, Gretta Silk, Belmacut, DPZ, SuperSurf e Revista Fluir.

Para obter mais informações, entre em contato pelo telefone (0xx11) 8428 3802. Ou visite o site tabreal.com.br/sospraias .


Publicação Waves.Terra